Novidades

Entrevista com Enrique Garcia

09. July 2020

Entrevista com Enrique Garcia

CEO da Klüber Lubrication América do Sul & Austrália comenta sobre os impactos da pandemia e o papel da liderança, entre outros temas (Fonte: Signium*)

Enrique Garcia é CEO da Klüber Lubrication América do Sul & Austrália, empresa do Grupo Freudenberg, onde atua há mais de 20 anos. É membro do Comitê Executivo Global do Grupo Klüber Lubrication e também faz parte, há mais de 10 anos, do Comitê de Inovação Global da empresa. Tem como principal propósito o desenvolvimento de pessoas, times, organizações e negócios no mercado B2B, de forma sistêmica e sustentável. Sua grande paixão é inspirar as pessoas, promover a inovação como uma constante na atividade diária e transformar essas ideias em realizações.

Nesta entrevista, o executivo fala um pouco sobre a crise mundial causada pela pandemia da COVID-19, estratégias para lidar com os impactos e minimizar os efeitos, as ações realizadas pela empresa neste período e as diferenças entre os diferentes mercados sob sua gestão.

Com toda esta crise, tiveram diversos setores que aproveitaram para acelerar negócios e operarem em outros canais, como e-commerce, plataformas digitais, etc. Como a crise atingiu a Klüber Lubrication e qual a estratégia adotada para a minimizar os efeitos?

A crise nos atingiu de forma moderada, pois fabricamos insumos para indústrias essenciais e fornecemos à segmentos muito variados. Alguns sofreram muito - automotivo, por exemplo - mas outros cresceram na crise, como o alimentício.

 

Durante este período, focamos em três prioridades:

 

1. Manter nosso time e suas famílias em segurança

2. Manter a operação rodando, fabricando e entregando aos nossos clientes

3. Estar juntos, em constante comunicação

 

Também reforçamos nossa cultura de intraempreendedorismo, que preza pela liberdade e responsabilidade. Em momentos de crise, cada país deve decidir o que é melhor em termos de negócio para cada um. As realidades do Brasil, Argentina, Chile e Austrália são muito diferentes. Delegar e empoderar o time é a chave para reagir rapidamente.

Quais foram as ações que a empresa tomou neste período e que você acredita que deverão permanecer mesmo após a volta ao novo normal?

Todas as ações que melhorem a experiência dos clientes, funcionários e colaboradores, como: Home Office, ferramentas digitais e o fluxo intenso de viagens será revisto. Reorientamos o time a fazer o que a empresa necessita. Tivemos pessoas de vendas que foram ajudar na fábrica e logística, equipes do setor automotivo começaram a atender outros mercados. Assim, devem permanecer a nossa agilidade, velocidade de resposta e atendimento e a capacidade de inovar e intraempreender.

Qual a mensagem que a liderança da Klüber Lubrication passou, ou está passando, para os seus colaboradores e parceiros de negócios?

Resiliência é fundamental, e essa é nossa essência como empresa, time e indivíduo. Pertencemos ao Grupo Freudenberg, um grupo de tecnologia familiar de origem alemã de 170 anos. Nossos valores e princípios são a chave de nosso sucesso a longo prazo, que permitiram sermos bem-sucedidos em tempos muito difíceis, como guerras mundiais e diversas crises e cenários adversos.

Como CEO da região LATAM e da Austrália, comparando os dois mercados, quais as diferenças na gestão da crise que estão facilitando a volta dos negócios?

As principais diferenças foram o timing, nível do lockdown e impacto na economia. Na Austrália, a pandemia da Covid-19 demonstrou primeiro seus impactos, pois a cadeia de supply chain está diretamente ligada com a da China. Porém, sua recuperação foi muito mais rápida e com efeitos pequenos nas vidas das pessoas e na economia.

 

Já na América do Sul, mesmo com a chegada mais tardia, tivemos impactos maiores na saúde, economia e ainda estamos vivendo incertezas. Mas, prefiro falar do que temos em comum na gestão da crise, como Klüber Lubrication: dar liberdade aos nossos times para fazer o que deve ser feito, adequando-se a cada país e mercado.

Como estavam os resultados da Klüber Lubrication no mundo e como estão agora?

A Klüber Lubrication tem tido, por muitos anos, o crescimento sustentado e resultados positivos e crescentes. Este ano, totalmente atípico, não será possível crescer, mas manteremos os resultados positivos. Nossa política de ser financeiramente sólidos prova ser a melhor estratégia nas crises e nos permite navegar tempos turbulentos com solidez.

Voce é um argentino, que mora no Brasil e que gerencia também a Austrália. Quais são as diferenças culturais entre eles?

As diferenças são muitas, mas resumiria em: os brasileiros sempre tendem a falar ‘sim’, mesmo que depois reavaliem. Já os argentinos iniciam pelo ‘não’, e depois começam a escutar. Na Austrália, costumam ser moderados nas respostas. A diversidade é vista com mais frequência e a igualdade entre as pessoas é um valor essencial. E, são muito equilibrados entre a vida pessoal e o trabalho.

Você teve uma carreira ascendente e chegou ao posto de CEO, algo que poucos conseguem. Qual o segredo do sucesso?

Ser você, fazer o que acredita que deve ser feito e não esquecer que é melhor pedir perdão do que permissão.

Qual dica você daria para as pessoas neste momento de instabilidade global?

Manter a calma, agir de maneira unida e sem temor de errar.

 

*Material publicado originalmente na newsletter da Signium. A Signium é uma empresa global com mais de 40 escritórios em 30 países, com um amplo histórico na busca de executivos e consultoria estratégica de capital humano.


Fale conosco

Entraremos em contato em breve

Agradecemos sua participação. Entraremos em contato assim que possível.

Ocorreu um erro no processamento. Por favor, tente novamente mais tarde.