Novidades

Graxas a base de poliureia: parte 1

28. June 2018

Graxas a base de poliureia: parte 1

A versatilidade das graxas a base de poliureia

Graxas a base de poliureia: parte 2

O lubrificante define-se como um material de fácil deformação capaz de formar uma camada impermeável, reduzindo o aquecimento e evitando que componentes em movimento provoquem atrito ou se desgastem. Com isso, podemos dizer que o objetivo primário da lubrificação é reduzir o desgaste e o calor gerado pelo contato de superfícies em movimento. Embora o desgaste e o calor não possam ser completamente eliminados, é possível reduzi-los para níveis negligenciáveis ou aceitáveis.

Os lubrificantes podem ser encontrados nos estados Sólidos (ex. Grafite e Bissulfeto de Molibdênio); Líquido (ex. Óleos minerais e Fluídos sintéticos); Gasoso (ex. Gases Nobres) e Sólido-fluído (ex. Graxas e Pastas). Dentre as diferentes graxas encontradas no mercado, as de poliureia têm se destacado devido à capacidade de adaptar-se a diferentes requerimentos de variadas aplicações, podendo ser utilizada em diversos segmentos da indústria.

As graxas de poliureia possuem boa adesividade e bombeabilidade sendo uma ótima indicação para sistemas centralizados de lubrificação e apresentam um desempenho eficaz mesmo sob condições de operação extremas, expostas a altas temperaturas, contaminação com água, vapor, ácido, cargas elevadas e vibração constante.

Na indústria do aço, por exemplo, as graxas de poliureia podem ser utilizadas em diversas aplicações, tais como máquina de lingotamento contínuo, mancais dos rolos, sistema de giro da torre, oscilador do molde, máquina de sinterização, rolamento das rodas dos carros, régua de selagem, coquerias, aciaria, motores elétricos, juntas de velocidade constante, instrumentação elétrica e rolamentos de equipamentos auxiliares.

Outra aplicação possível são as máquinas das indústrias de alimentos, pois podem ser facilmente formuladas para a aprovação da Classe H1 da organização americana “National Sanitization Foundatuion (NSF)” mostrando o quão diverso pode ser o uso deste tipo de espessante. Além disso, as graxas de poliureia são resistentes à água, aumentando o tempo de uso do lubrificante e reduzindo a produção de resíduos e os custos de operação, benefícios financeiros e para o meio ambiente.

*Este artigo é fruto de uma parceria entre a Klüber Lubrication Brasil e o Instituto de Química da Universidade de São Paulo, por meio do Programa de Mestrado Profissional. A empresa gostaria de agradecer ao professor Alcindo Santos, orientador do projeto.

Fale conosco

Entraremos em contato em breve

Agradecemos sua participação. Entraremos em contato assim que possível.

Ocorreu um erro no processamento. Por favor, tente novamente mais tarde.