Novidades

Especificações gerais de óleos: parte 1

26. June 2018

Especificações gerais de óleos: parte 1

Entenda algumas normas da indústria

  • O primeiro passo para identificar o óleo para engrenagem adequado é seguir as recomendações do OEM.
  • Esta rápida visão geral explica algumas das normas usadas na indústria de óleo para engrenagens para simplificar a especificação desses lubrificantes

Frequentemente, especificar um óleo lubrificante de diferentes tipos de engrenagens para um usuário final é tão simples quanto seguir as recomendações do OEM. Esse deve ser sempre o primeiro passo para identificar o lubrificante adequado a ser usado. Essa informação pode ser encontrada diretamente na placa de identificação do redutor ou estar contida na tabela de lubrificação industrial no manual de manutenção/guia do usuário do respectivo fabricante e modelo da caixa. Os OEMs usam diversas normas para definir as características de desempenho desejadas e o tipo de lubrificante para uma dada aplicação, faixa de temperatura ou condição de operação. Apresentamos a seguir uma breve visão geral para explicar algumas das normas utilizadas na indústria de óleos para engrenagem.

ISO VG

A viscosidade do óleo de diferentes tipos de engrenagens é uma das características físicas mais importantes a ser considerada. Com tantas normas internacionais diferentes que definem os requisitos de viscosidade, o Grau de Viscosidade da Organização Internacional de Normalização (ISO VG - International Standards Organization Viscosity Grade) foi desenvolvido com a colaboração de todas as organizações internacionais. O sistema ISO é utilizado para minimizar a divergência entre fabricantes de equipamentos, usuários finais e fornecedores de lubrificantes pela padronização dos diferentes graus de viscosidade de um óleo. O índice ISO VG é definido como sendo a viscosidade do óleo lubrificante base expressa na unidade centistoke (cSt), que também é igual a mm2/s a uma temperatura padrão de 40 °C. Há uma tolerância permissível de +/- 10% desse grau de viscosidade padrão. Por exemplo, a viscosidade de um óleo ISO VG 460 é aceitável desde um mínimo de 414 cSt a 40 °C até um máximo de 506 cSt a 40 °C. Os graus de viscosidade ISO podem variar de ISO VG 2 até ISO VG 3200 e são definidos em passos padronizados entre esses valores.

Para transmissões que operam em uma determinada faixa de temperaturas ou condições de operação, os OEMs usam diversas normas para definir o tipo de lubrificante para engrenagens e as características de desempenho requeridas.

Especificação AGMA

A versão mais recente da especificação da Associação Americana dos Fabricantes de Engrenagens (AGMA - American Gear Manufacturers Association) para lubrificação de transmissões dos tipos de engrenagens protegidas é a ANSI/AGMA 9005-F16. Esse documento provê diretrizes de tipos de lubrificação industrial para engrenagens protegidas e abertas tanto para usuários finais quanto para fabricantes de equipamentos. A norma define diversos requisitos recomendados de teste para vários graus de viscosidade e vários tipos de óleos lubrificantes industriais. As versões anteriores do documento usavam designações para os diferentes graus de viscosidade (4EP, 5EP, etc.). A versão atual do documento padronizou os graus de viscosidade e tipos de óleo da ISO (ou seja, antidesgaste/ EP, etc.). Ainda há redutores no mercado que especificam o uso de um óleo 5EP. Se for esse o caso, consulte o representante local da Klüber ou versões mais antigas do documento AGMA para obter a correspondência com o grau de viscosidade atual e tipo de óleo lubrificante atual. No passado, os tipos de lubrificantes anti-scuffing eram referidos como extrema pressão ou EP. A versão mais recente dessa norma fez uma transição de afastamento do termo genérico EP e agora se refere a esses óleos como anti-scuffing ou AS (Anti-Scuff). O teste de rolamentos FE8 foi agora adicionado como requisito na tabela de lubrificantes anti-scuffing. Foi também acrescentada uma seção sobre características melhoradas dos lubrificantes para discutir a importância do desempenho em função da temperatura, melhor proteção contra o desgaste, comportamento de formação de espuma e eficiência.

Fale conosco

Entraremos em contato em breve

Agradecemos sua participação. Entraremos em contato assim que possível.

Ocorreu um erro no processamento. Por favor, tente novamente mais tarde.