Novidades

Segurança e higiene

17. November 2017

Segurança e higiene

Aumentando os padrões na indústria alimentícia

 

  • A Klüber Lubrication tomou uma série de medidas para atender à norma ISO 21.469 – incluindo uma estratégia de higiene que leva em conta quaisquer riscos químicos, físicos e biológicos associados ao uso do lubrificante.
  • Os usuários finais se beneficiam da garantia de que os lubrificantes compatíveis com a norma ISO 21.469  atenderão consistentemente aos requisitos de segurança alimentar por meio de análises de produtos e auditorias de processo realizadas por terceiros.

Desde 1998, quando a Fundação Americana de Saneamento (NSF - National Sanitation Foundation) assumiu a norma de lubrificantes H1 do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), as preocupações em relação à segurança alimentar só aumentaram. Em 2000, foi formada a Iniciativa Global de Segurança Alimentar (GFSI - Global Food Safety Initiative) para definir os requisitos de segurança alimentar ao longo de toda a cadeia de fornecimento de alimentos. Posteriormente, em 2011, a Administração Federal de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA - Food and Drug Administration) implementou a Lei de Modernização da Segurança Alimentar que deslocou o foco da reação para a prevenção dos problemas de contaminação de alimentos. Nesse intervalo, a própria NSF introduziu diversos processos de auditoria e certificação de instalações, culminando na introdução da norma ISO 21.469  em 2006. A norma ISO 21.469  é implementada voluntariamente pelos fabricantes de lubrificantes que se importam em fazê-lo. Essa certificação cria novos padrões de referência para os fabricantes de lubrificantes que, no final das contas, beneficiam os usuários finais por assumir uma abordagem holística para a fabricação de lubrificantes de grau alimentício.

 

 

 

 

 

 

Ingredientes da norma de lubrificantes ISO 21.469 da NSF

Em geral, os lubrificantes de grau alimentício realizam as funções típicas de qualquer lubrificante: reduzir o desgaste, o atrito, a corrosão, a oxidação e o acúmulo de calor. Adicionalmente, devem resistir ao crescimento microbiano e à degradação por ação dos ingredientes do alimento, de produtos químicos e da água/ vapor, sendo ainda inodoros, insípidos e quimicamente inertes. Especificamente, a certificação NSF H1 indica que o lubrificante específico é aceitável para o contato incidental com alimentos e pode ser usado nas áreas de processamento. Os lubrificantes H1 devem ser formulados a partir de uma lista de ingredientes aprovados da USDA, conhecida como FDA 21 CFR 178.3570, e ser corretamente rotulados e examinados para a finalidade proposta.

Entretanto, a certificação H1 não valida o processo de fabricação ou a veracidade das informações do rótulo. A norma ISO 21.469  trata dessas questões – e de outras.

O programa ISO 21.469  avalia o lubrificante nos seguintes quesitos:

  • Análise da formulação e do rótulo para garantir a segurança dos ingredientes e a precisão do rótulo
  • Avaliação de riscos para assegurar que o fabricante identificou e avaliou os perigos relevantes na fabricação e no uso do lubrificante
  • Auditorias das instalações de produção para confirmar o cumprimento dos procedimentos da qualidade e das boas práticas de fabricação
  • Testes analíticos para verificar a integridade da composição do produto

Em outras palavras, a ISO 21.469  considera o lubrificante e o processo de fabricação como um todo. Leva em conta o lubrificante e seus ingredientes, assim como o processo de fabricação, manuseio, embalagem e armazenamento. O objetivo dessa abordagem holística é garantir não somente que o lubrificante seja fabricado de acordo com as normas, mas também que seja entregue intacto e livre de contaminações externas.

Fale conosco

Entraremos em contato em breve

Agradecemos sua participação. Entraremos em contato assim que possível.

Ocorreu um erro no processamento. Por favor, tente novamente mais tarde.