Lubrificação de compressores de ar: eficiência e produtividade na operação

Os compressores de ar são uma das mais importantes aplicações para a indústria, em diversos segmentos. Nesse contexto, a lubrificação possui papel fundamental, ajudando a melhorar o desempenho desses componentes sob várias condições de operação, desde que ocorra a escolha do lubrificante adequado. Os nossos óleos sintéticos de alto desempenho possuem muitas vantagens em relação aos óleos minerais tradicionais, em fatores como vida útil prolongada, resistência a oxidação e atrito reduzido, resultando em benefícios financeiros e sustentáveis.

Para falar sobre esses indicadores e apresentar casos de sucesso comprovado na indústria alimentícia, com economia de quase 50% em um ano, os nossos especialistas Bruno Ascenço e Diego Bratkoski apresentaram o webinar “Lubrificação de compressores de ar: eficiência e produtividade na operação”, trazendo de forma prática essas vantagens do lubrificante sintético.

Em sua apresentação, Bruno Ascenço destacou como nosso amplo portfólio de soluções de lubrificantes sintéticos traz resultados efetivos para as empresas, além de ajudar a resolver o desafio de redução de custos com maior desempenho operacional. O gasto com lubrificação, em média, representa apenas 1% do custo de operação de uma planta industrial. Porém, a realização de um investimento em lubrificação pode resultar em impactos de redução de custos em todas as demais áreas da produção, como consumo de energia, peças de reposição ou mão de obra, com paradas não programadas, por exemplo.

O uso dos óleos sintéticos em relação aos minerais possui vários benefícios, entre eles baixo ponto de fluidez crítica, baixa volatilidade, comportamento viscosidade-temperatura mais estável, alta resistência ao envelhecimento e à oxidação, propriedade biodegradável e chancela food grade, fundamental para aplicação em indústrias alimentícia e farmacêutica.

Entre as propriedades fundamentais nas quais os lubrificantes sintéticos também apresentam desempenho superior estão a pressão de vapor, o índice de viscosidade e o coeficiente de atrito, que está diretamente relacionado à Eficiência Energética, pois determina o esforço exigido do lubrificante para fazer a máquina operar.

Em um comparativo de um compressor de ar tradicional (com valor de US$ 45 mil), o uso do lubrificante mineral exige uma manutenção por volta das 40 mil horas de uso, por conta da geração de partículas de desgaste, enquanto o óleo sintético manterá o seu desempenho e só demandará uma manutenção a partir das 80 mil horas de uso. Ou seja, dobrando a vida útil deste compressor. Um único compressor de parafuso de 200 hp, com potência de 149 kW, após um ano de operação (ou aproximadamente 8.000 horas), pode representar uma economia de energia de R$ 12 mil.

Bruno também apresentou as vantagens do desempenho dos óleos sintéticos em compressores de parafuso, como baixa tendência à formação de espuma, demulsibilidade, alta resistência à oxidação em amplas faixas de temperatura e a boa condutividade térmica.

Já o Gerente de Mercado para as indústrias de alimentos e farmacêutica, Diego Bratkoski, trouxe um caso real de como a solução Klüber-Summit FG Elite proporcionou benefícios para uma empresa do setor alimentício, destacando também a importância da escolha de um lubrificante de alto desempenho e com propriedade atóxica para as máquinas na operação, com maior confiabilidade, além das certificações necessárias, como NSF, Kosher e Halal. Esses lubrificantes devem também atender as legislações locais e globais, entre outros requisitos. “Nós recomendamos a certificação ISO-21469, que garante que o processo é limpo, livre de contaminação cruzada”, destaca Diego Bratkoski.

Em sua apresentação, o especialista trouxe um comparativo entre a utilização de um óleo sintético atóxico de múltiplas aplicações e o Klüber-Summit FG Elite, exclusivo para compressores de ar em uma multinacional do setor. Entre os principais resultados, o aumento da vida útil do lubrificante em 100% (de 4 mil para 8 mil horas), a redução do custo com trocas de filtros de óleos e separadores pela metade (em um ano), o aumento da disponibilidade de mão de obra e a redução da formação de borras e vernizes. Em um ano, a troca do lubrificante representou cerca de US$ 48 mil (ou 48% a menos) em redução de custo para a empresa, com a padronização da solução. O exemplo considerou o total de 14 máquinas instaladas.

Entre em contato com nosso especialista Bruno Ascenço no e-mail bruno.ascenco@br.klueber.com. Você também pode assistir ao webinar na íntegra clicando aqui.

Entre em contato

Entre em contato

Esperamos receber sua mensagem!

Para mais informação sobre nossa política de privacidade dos dados de formulário, por favor acesse nossa privacy policy.